fbpx

Glossário de Termos

  • dashDash$78.79

Ataque 51%: é uma condição onde mais da metade do poder computacional numa criptomoeda é controlado por um só mineiro ou uma grupa de mineiros. Por o que teoricamente esse poder computacional as fazem as autoridades nessa red e são os que podem tomar decisões respeito da moeda

Address: em português “direção”. Uma direção de Dash é usada para enviar ou receber um pago na rede de Dash. Esta pode representar se de duas formas: um código com caracteres alfanuméricos ou código QR esta direção também é conhecida como “chave publica”

Altcoin: como Bitcoin foi a primeira criptomoeda e tem a capitalização do mercado mais grande, é considerada como referencia. O termo altcoin refere-se a “alternative coin” Em português “moeda alternativa” e pode ser qualquer criptomoeda diferente ao Bitcoin

ASIC: Em inglês “Application- Specific Integrated” Em português “circuito integrado de aplicação especifica”. É um circuito integrado e criado especialmente para um proposito especifico. Este termo é usado na mineração onde há muitas maquinas denominadas como ASIC porque mineram só uma moeda (a diferença dos GPU ver mais adiante)

ATM: um ATM de Dash é uma maquina física que permite a compra de Dash (com dinheiro fiduciário) tem semelhança com a caixa eletrônico. Também há ATM que permitem vender Dash por dinheiro e são chamados BTM

Backups: em português “respaldo” ou “copia de segurança” é o processo de fazer copias de um arquivo do computador para assegura-lo no caso do que o computador perca- se ou dane-se. Se isto acontece pode abrir a carteira num novo dispositivo e recuperar seu dinheiro.

Bitcoin2.0: Este é um termo que explica o seguinte nível dos projetos de Bitcoin os quais começaram como um “Fork”do Bitcoin mas o código foi levado ao outro nível de projetos em Blockchain (Contratos inteligentes, votos descentralizados)

Blockchain: em português “cadeias de blocos” ´é uma base de dados distribuída que mantem um crescimento continuo de uma lista de dados protegidos e estão numa constante revisão. Consiste numa data estructurada em blocos, os quais cada um tem lotes de transações individuais e os resultados de cada um dos blocos anteriores. Cada bloco tem uma marca de tempo e informação relacionada ao bloco anterior.

Blocks em português “blocos”. As transações na blockchain são cadastradas em blocos que gravam e confirmam quando uma transação entra e é confirmada na blockchain. Os blocos são criados por os mineiros que usam um software especializado (ASIC ou GPU) para criarlos.

Dash: Originalmente foi lançado como Xcoin e logo seu nome foi mudado a Darkcoin, depois teve outro cambio de nome ao Dash para evitar a associação com os mercados da “darknet” (rede obscura) Dash é a abreviação de “Digital Cash” em português “Dinheiro digital”. É uma criptomoeda Peer to Peer de software livre que soluciona muitos problemas de Bitcoin. As características mais ressaltantes estão: PrivateSend, InstantSend, o sistema de governança descentralizado pela blockchain (DGBB) uma segunda capa da rede (a rede dos masternodes)

Dash evolution: esta é uma terceira capa da rede de Dash a qual esta sendo construída pelos desenvolvedores de Dash. Isto fara que Dash seja tão fácil de usar como paypal sem deixar de ser descentralizada.

Descentralized: Em português “descentralizado” a computação descentralizada é a colocação dos recursos (hardware e software) numa estação de trabalho individual. A computação centralizada é quando a maioria das funções são levadas ao cabo por um sistema central numa ubicaçao especifica. A computação descentralizada é uma tendência, atualmente muitos computadores de escritórios se encontram obsoletas respeito aos requerimentos atuais, mas a computação descentralizada pode usar o potencial de estas maquinas para maximizar sua eficiência.

Digital wallet: em português “carteira digital” é similar a uma carteira física, mas com a difereça que se usa para resguardar moedas digitais. Uma carteira de Dash resguarda tuas chaves privadas (private key) o que permite gastar teus dash, também podes fazer respaldos de seguraça para assegurar teus fundos. As carteiras digitais podem estar em diferentes dispositivos.

Desktop / software wallet: (Electrum, Dash, QT) são programas que instalas em teu computador ou laptop. Nestas você é o único responsável por proteger o arquivo de tua carteira e as chaves privadas (private Key) o que permite gastar teus Dash, também podes fazer respaldos de seguranças no caso de perder ou danar seu computador.

Mobile wallet: (Android, iOS – Dash wallet) estas carteiras podem ser baixadas em google play (android) ou Appstore (iphone) são carteiras para smartphone e tablets, estas permitem usar teus Dash no dia a dia, já que com elas podem escanear o código QR. Para enviar um pago recomendamos fazer respaldos de seguranças para que não percas o acesso a teus fundos. Também recomendamos não armazenar tantos Dash neste tipo de carteiras. Estas carteiras são comparadas com a carteira de bolso onde se guarda o dinheiro. Pode ser considerada como uma caixa forte onde pode armazenar mais dinheiro.

Online / cloud/web wallet: (exodus) já explicamos anteriormente

Budget System / DGBB: Em português “sistema do pressuposto”.  O desenvolvimento de Dash e seu ecossistema é autofinanciado pela rede de Dash. Cada vez que um bloco se cria 45% olá ganancia do bloco vai aos mineiros 45% vai aos masternodes e o 10% e o 10% que resta é usado pela rede para financiar projetos que são aprovados pela rede de masternodes. O sistema de pressuposto é chamado também tesouraria de Dash.

Cloud Wallet: Em português “carteira na nuvem” É um terceiro que armazena teus Dash em servidores de tal forma que possas aceder a teus fundos desde qualquer dispositivo conectado na internet. O perigo é que se sua página hackeada ou se os servidores se danam, corre o risco de perder teus Dash. Qualquer carteira online deve assegurar com chaves difíceis e um doble fator de autenticação (2FA). Outra desvantagem é que ao poder fazer backups de sua carteira online já que ano tens acesso a as chaves privadas É por isto que não é recomendável armazenar grandes quantidades de Dash neste tipo de carteiras.

Cold Storage: Em português “armazenamento em frio”. É um método para resguardar teus fundos e chaves privadas fora do internet. Existem diferentes formas de faze-lo: usando um computador ou laptop desconectada da internet um dispositivo chamado “Hardware Wallet” ou uma carteira de papel.

Comfirm(ed) Transaction: Em português “transação confirmada”. Quando uma transação é feita, um mineiro deve validar. Uma vez que faz a transação é incluída num bloco da cadeira. Nesse momento a transação é considerada completa e irreversível.

Confirmation Number: Em português “número de confirmação” é o numero de confirmações para uma transação de Dash. Zero confirmações significa que a transação não esta confirmada. Uma confirmação significa que foi incluída no último bloco da cadeia. Duas confirmações significam que foi incluída em dois blocos, três confirmações em três blocos assim sucessivamente. A probabilidade que uma transação se reverse (doble gasto), desmiude exponencialmente com a confirmação de cada bloco. Seis confirmações se consideram “segura” irreversível.

Confirmed transaction: em português “transação confirmada” são as transações processadas pelos mineiros e considerada irreversível, usualmente com seis confirmações, no caso de InstantSend, os fundos podem considerar se irreversível depois de uns segundos.

Cryptocurrency: em português “ criptomoeda” é um médio de intercambio que usa criptografia para assegurar as transações e para controlar a criação de novas unidades

Darkcoin: foi o segundo nome que teve Dash logo de sua criação. O primeiro nome foi Xcoin.

DarkSend: foi o nome original do privateSend.

Fintech: é a abreviação de Finacial Tecnology, em português “tecnologia financeira” é um sector econômico composto por empresas que usam tecnologia para fazer os serviços financeiros mais eficientes. Usualmente as empresas Fintech são pequenas “Startups” que tratam de fazer os processos mais eficientes e acabar com intermediários. Atualmente muitas empresas fintech usam a tecnologia blockchain nos seus processos, produtos e serviços.

Fork: é uma separação da cadeia de blocos devido a diferentes opiniões respeito ao funcionamentos e futuro que se quiser dar a um projeto ou criptomoeda. O fork é mais provável que aconteça durante a atualização do software da rede. Dash usa um sistema fork multiface (chamado Spork) para ser mais flexível e seguro.

Full Nodes: é qualquer software que interatua com a rede de Dash e que provem exclusivamente serviços. Isto pode ser uma QT Wallet, um computador ou masternode. Os full Nodes promovem a descentralização deixando que qualquer usuário realize uma doble verificação da blockchain.

Hash: é um processo matemático que toma uma quantidade variável de data e produze em sua saída uma data mais curta e modificada. O Hash tem duas características importantes. Primeiro matematicamente é muito difícil prever qual é a data de entrada, vindo soamente a data de saída e segundo, cambiando uma pequena parte da data de entrada, a saída será completamente diferente.

Hash rate: é o número de Hashes que podem ser feito por um mineiro de Dash num determinado tempo (usualmente é a quantidade de Hashes feitos num segundos)

InstantSend: é uma tecnologia única de Dash a qual usa a rede de Masternodes para assegurar a transação, para que não se realize doble gasto. A diferença de Bitcoin, onde as transações que usam InstantSedn são confirmadas em poucos segundos.

Mining: em português “mineração” é o processo o qual os mineiros confirmam as transações e publicam na cadeia de blocos. Como premio por fazer este trabalho, os mineiros recebem um 45% da ganancia do bloco.

Node: em português “Nodo” é um dispositivo executando o software de uma carteira de Dash. Os full Nodos são Nodos que hão descarregado toda a blockchain de Dash e provem serviços na rede.

OTC: é a abreviação de “over the counter” são intercâmbios que acontecem fora do Exchanges. Num intercambio OTC um comprador e um vendedor negociam diretamente de um intermediário, usualmente estes intercâmbios se realizam quando uma pessoa quer vender ou comprar uma quantidade grande de uma criptomoeda e tem medo que esse intercambio modifique o preço.

Hardware Wallets: (Trezor, keepkey, Ledger Nano) é um dispositivo especializado para armazenar suas chaves privadas e suas criptomoedas. Estes dispositivos tem a capacidade de assinar tuas chaves privadas sem ter acesso na internet. No entanto deve ter conexão na internet para enviar uma transação na rede de Dash. Estes dispositivos permitem aceder a tuas chaves privadas de uma maneira fácil ao mesmo tempo de proteger teus fundos. Esta é considerada como a forma mais segura de guardar teus Dash.

Offline / ColdStorage: (paper wallet ou carteira de papel) é uma carteira criada de maneira off-line e nunca se conecta na internet. Estas carteiras se criam usando um software que gera as chaves privadas e publicas. Logo as chaves podem ser impressas num papel ou metal. Os respaldos de seguranças podem resguardar-se num lugar seguro como uma caixa forte o qualquer lugar que usuário creia que seja seguro. Esta é uma maneira extremadamente segura do armazenar Dash, já que ao não estar conectado na internet ou dentro do computador, estão seguras de qualquer hacker.

Evan Duffield: o fundador de Dash. Criador de X11, InstantSend e PrivateSend. Antes de criar Dash o Evan foi assessor financeiro.

Exchanges: ou também “digital currency exchangers” (DCES) são empresas que deixam as pessoas intercambiar criptomoeda por dinheiro fiduciário ou outras criptomoedas. Por usar seus serviços estas campanhas cobram comissões, recomendamos não armazenar grandes quantidades de dinheiro nestas plataformas já que estão expostos a hackeos.

Exchange rates: é o preço do Dash comparado com outras criptomoedas ou moeda fiduciária, e este é determinado por a oferta e demanda do Dash nos exchanges. Um lugar de referencia para saber o preço do Dash é Coin Market Cap.

Faucet: é um sistema de prêmios que usa uma página ou app para dar prêmios em quantidades mínimas de dash (ou duff a unidade mínima de Dash) usualmente os usuários ganham jogos o completam desafios para receber prêmios. Se considera uma das maneiras para entrar ao sistema das criptomoedas sem ter capital. Uns dos sítios web mais famosos onde se poder ganhar Dash por só jogar “Dash red”

Fiat gateway: é um exchange ATM, ou outro serviço que permite converter dinheiro fiduciário em criptomoeda e vice-versa

Fiat Money: em português “dinheiro fiduciário” tem diferentes definições *qualque dinheiro declarado por um governo que pode circular legalmente *dinheiro emitido por o estado que pode ser trocado por bens e serviços exemplo: dólar, euro, bolívar, peso, etc.

P2P: é abreviação “peer to peer” este termo é usado nas transações, onde compradores e vendedores interatuam e negociam diretamente.

PrivateKey: em português “chave privada” é um código alfanumérico que permite gastar os Dash todas as carteiras de Dash contem 1 ou mais chaves privadas as quales estão guardadas no arquivo da carteira. É o que permite enviar Dash a alguém mais e por isso deve ser guardada no lugar seguro.

Private Send: esta opção oculta o origem dos fundos de uma transação o que permite ter privacidade entre os usuários. Esta característica pode ser usada quando o usuário o deseje.

Proof or Work: (POW) em português “prova de trabalho” é um mecanismo de consenso que matem a todos os nodos “honestos” solicitando lhes poder computacional para a criação de novos blocos. Os mineiros devem comprar maquinas custosas e gastar eletricidade para somar blocos na cadeia e a rede de nodo nunca pudessem estar do acordo em qual a cadeia é valida e qual não.

Proof of Stake (POS) em português “prova de tenência” e o mecanismo de consenso que se baseia na tenência de uma criptomoeda para manter a cadeia de blocos. Neste tipo de mecanismo de consenso, cada dono da criptomoeda pode usar sua carteira para “stake” e de essa forma existe uma probabilidade de que sejam escolhidos para somar o seguinte bloco na cadeia. Neste sentido o consenso se mantem através de todos os nodos. A prova de tenência poupa electricidade e não requer maquinas especializadas. No entanto tem desvantagem por exemplo: não se consume electricidade, no caso de um ataque e igual de beneficioso para os nodos em POS votar para aceitar a cadeia legitima ou a cadeia de atacante.

Public Key: em português “chave publica” esta se deriva da chave privada mas não é secreta e pode ser revelada a cualquier pessoa no entanto que a chave privada é usada para assinar mensagens a chave pública é usada que essa assinatura seja valida. É o análogo ou numero de conta bancaria onde recebe fundo.

DashCore wallet: conhecida também como Qt Wallet é a carteira “oficial” de Dash criada por o Core Team de Dash. Esta permite Privatedsend e IstantSend. Esta carteira descarrega toda a cadeia de blocos de Dash e servira a rede no qualquer momento.

Satoshi Nakamoto: é o nome usado pela pessoa ou grupo de pessoas que disenharam o bitcoin.

Trasaction Fee: em português “comisões de transações” e a comissão que devem pagar os usuários para enviar transação na rede de Dash. A comissão é assignada o mineiro que fiz o “ hash” e revelou a transação

Unconfirmed transation: em português “Trasaçoes não confirmadas” são aquelas transações que ainda não estão confirmadas na blockchain. Este tipo de transações podem ser reversadas e não devem considerar-se como completas.

Wallet: em português “ carteira” é um mecanismo para armazenar os Dash para logo usar lós. Uma carteira armazena as chaves privadas associadas nas direções ou “address”

White Paper: em português “livro branco” é um reporte que explica brevemente um tema muito complexo e apresenta toda a estrutura de um projeto. Ajuda aos leitores entender um tema, responder perguntas o resolver um problema. Usualmente o “White paper” é a guia usada por qualquer empresa que vai emitir uma criptomoeda. Para explicar seu plano de negocio e uso vai ter a criptomoeda.

X11: é o algoritmo de “Hashing” criada por Evan Duffield o fundador de Dash

Zero Confirmations: em português “zero confirmações” que não tem confirmaçoes na cadeia de blocos. Sãos transações reversível ao menos que se use InstantSend.

Se tiver alguma dúvida com um termo que não aparece na lista, não hesite em nos contactar através de qualquer um dos nossos canais.